Três mitos sobre a endometriose

Só no Brasil, a Associação Brasileira de Endometriose e Cirurgia Minimamente Invasiva calcula em sete milhões o número de brasileiras que sofrem com a doença. Mesmo assim, ainda é um tema pouco comentado e, por isso, ainda existem diversos mitos sobre a endometriose.

Mitos que, como explica o ginecologista Sérgio Podgaec, não apenas atrasam o diagnóstico, mas geram mal-entendidos sobre o real impacto da doença sobre a saúde da mulher.

Mito 1: Endometriose não tem solução. A mulher tem que se acostumar e pronto!

Esse é um erro comum entre quem se descobre com os sintomas da doença, caracterizada pela presença do endometrio fora de lugar.

Para quem não sabe o que é o endométrio, uma breve explicação: ele é um tecido altamente vascularizado que recobre a parte interna do útero. É ele que dá origem à menstruação, provocada por sua descamação ao final de cada ciclo menstrual.

O crescimento e a descamação do endométrio são controlados por hormônios produzidos pelo corpo feminino. Por isso, uma das principais armas para controlar o impacto da doença, explica Podgaec, está justamente na terapia hormonal, indicada para as pacientes que não estão tentando engravidar.

Nos casos em que os hormônios não são suficientes, ainda há a opção cirúrgica e, seja qual for a escolha do médico – cirurgia ou hormônios –, as pacientes precisam receber acompanhamento e tratamento específico em caso de dor. “É errado achar que a endometriose não tem solução. Com o tratamento a paciente pode melhorar muito”, fala o médico.

Mito 2: Tenho endometriose, vou ter de operar!

Cirurgia, como vimos acima, não é a única solução para a endometriose. Na verdade, como lembra Podgaec, os procedimento invasivos são feito apenas naqueles casos mais complicados, nos quais a paciente apresenta muita dor mesmo após o tratamento hormonal ou naqueles quadros mais avançados.

Entende-se como casos mais graves aqueles em que há cistos de ovário volumosos, suspeita de endometriose no apêndice ou a presença de lesões que ameacem a obstrução do intestino ou do ureter.

Mito 3: Não tem como engravidar com endometriose

Essa é outra ideia incorreta bem comum, diz o médico. A endometriose é realmente uma das principais causas de infertilidade feminina e muitas mulheres a descobrem ao tentar engravidar e não conseguir. Porém, a infertilidade está longe de ser realidade para a maior parte das mulheres com a doença.

“Cerca de 30% das mulheres com endometriose apresentam infertilidade”, fala Podgaec. Mesmo nesses casos, o tratamento pode ser capaz de reverter o problema e, quando isso não acontece, ainda é possível recorrer às técnicas de reprodução assistida.

Fonte: http://www.chegadedor.com/2015/03/06/os-tres-mitos-sobre-endometriose/

Leave a Comment

sing in to post your comment or sign-up if you dont have any account.

%d blogueiros gostam disto: